Hola, pessoas bonitas!!
E vamos falar dessa nobre escritora, que foi a primeira mulher a trabalhar como jornalista no Le Figaró, teve que se disfarçar de homem para fazer aparecer na sociedade parisiense e foi uma das escritoras francesas mais populares do século 19, na época, mais famosa até que Victor Hugo.

Amantine Lucile Aurore Dupin, ficou mais conhecida pelo pseudônimo George Sandinspirado do nome de Jules Sandeau, um dos seus amantes e com quem ela escreveu seu primeiro livro em conjunto, em 1831, e assinaram como “J. Sand”. 
No ano seguinte, para publicar seu primeiro livro independente, Indiana, Amantine passou a assinar e usar no dia a dia o nome George Sand.
Ela escreveu 60 livros e 25 peças de teatro ao longo de sua vida, além de duas autobiografias e mais de 40 mil cartas que foram compiladas e publicadas em 25 volumes. 
Na infância, filha de um nobre com uma “mulher comum”, teve a guarda disputada entre a avó e a mãe. Criada por muitos anos na propriedade da avó, em Nohant, teve uma educação bastante livre, com seu tutor a incentivando não só intelectualmente, como também seu comportamento desafiador: a vestir roupas masculinas para cavalgar e fazer atividades práticas, assim ela trouxe o costume para a vida adulta.
Enquanto as mulheres de sua mesma posição social vestiam-se com espartilhos, saias e anáguas, Sand preferia a simplicidade das calças e camisas, que também eram infinitamente mais baratas e práticas e ainda permitiam que ela viajasse com mais facilidade e entrasse em círculos da sociedade francesa que estaria proibida de conhecer se usasse um vestido.
Antes de iniciar sua carreira literária, Amadine, se casou com um barão aos 18 anos e teve dois filhos, Maurice e Solange – a menina provavelmente foi fruto de um caso extraconjugal. A união infeliz durou nove anos, quando ela anunciou para o esposo que estava o deixando, e também os filhos, para seguir a carreira de escritora (alguns anos mais tarde ela mandou buscar os filhos).
Em Paris, além de seu enorme talento e produção contínua, também circulava entre os principais locais artísticos da época e teve diversos casos amorosos com alguns dos escritores, músicos, pintores e poetas mais famosos da período, como Gustave Flaubert, o compositor Chopin, a atriz Marie Dorval e o poeta Alfred de Musset.
Com Chopin, ela viajou para Palma de Maiorca, na Espanha, levando também os dois filhos, para tratar da tuberculose do pianista, que acabou sendo uma grande desventura: foram expulsos da primeira casa que estiveram porque o dono ficou com medo da doença de Chopin. Depois, instalaram-se num belo prédio de um antigo convento, mas o mau tempo do inverno na ilha espanhola fez com que a saúde de Chopin piorasse. Partiram, ainda circulando por Barcelona e Marselha até voltarem para a propriedade de Sand em Nohant. Ali, viveram juntos de 1839 a 1846, onde Chopin compôs muitos trabalhos. 
A relação acabou por volta de 1845, quando a saúde de Chopin piorou muito e Sand publicou o livro Lucrezia Floriani, cujos protagonistas são uma atriz rica e um príncipe de saúde frágil, uma história com muitos paralelos com o romance da vida real. Os dois romperam de vez em 1847 e Sand foi uma notável ausência no funeral do compositor.
Por fim, seus livros, apesar de serem de ficção, falam muito das experiências da mulher, casamento, igualdade de gênero, amor, e claro, suas aventuras românticas e sexuais. Além da literatura e da vida social intensa, George Sand também era ativa na vida política: socialista, cronista e ativista na Revolução de 1848, que iniciou o período da Segunda República Francesa. 
Por mais que lutasse pela igualdade de gêneros, não era, na época, feminista. Ao mesmo tempo que quebrava o molde do que era esperado de uma mulher, também sabia exatamente exercer as habilidades esperadas pela sociedade: Ela pintava, bordava, fazia geleias e cuidava da vida doméstica: educou os filhos e esteve ativamente envolvida na vida dos netos.https://www.360meridianos.com/especial/george-sand-a-escritora-francesa-que-ousava-usar-calcas
Uma mulher à frente de seu tempo, não é verdade? Que nunca deixou de buscar seus sonhos e lutar por um lugar ao sol.
Beijos e até a próxima!

Compartilhe:

9 Comentários

  1. que maximo conhecer mais da vida dessa autora, com certeza preciso ler mais obras dela

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Gostei de ler o post.
    Desejo-lhe a continuação de boas festas:))

    Beijinhos:))

    ResponderExcluir
  3. Que mulher maravilhosa demais, adorei conhecer mais sobre ela.

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir
  4. obrigado querida. não seria mesmo, porque ela precisa de ser retocada com pó ... :(

    não conhecia, mas achei o post bastante interessante!

    NEW FASHION POST | HERE'S WHAT TO WEAR ON NEW YEAR'S EVE.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
  5. Alguém teve que dar os primeiros passos, com dificuldades, mas valeu para os dias de hoje. Admiro estas forças.
    Um feliz ano novo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Que legal, não sabia sobre a autora, foi legal conhecê-la um pouco ;)
    Beijos,
    http://blogluanices.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante a história dessa mulher. Ainda não conhecia.
    Bom final de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  8. Completamente a frente do seu tempo e acho sua historia incrível <3
    Muito inspiradora <3

    Aproveito para desejar um Feliz ano novo <3
    Beijos e até 2019
    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia, mas achei a história dela muito interessante. Fiquei curiosa para ler um livro que ela escreveu. Bjs

    ResponderExcluir

Olá!
Fico feliz com sua visita e não saia sem deixar seu comentário.
Bjokas,Sheyla.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *